Você já deve ter ouvido a frase: “Depois de velho é mais difícil aprender, aproveite enquanto é jovem!” Antigamente, achava-se que nascíamos com um determinado número de neurônios que se desenvolviam – fazendo novas conexões – ao longo da vida, mas que se deterioravam com o envelhecimento, sem a possibilidade de “brotarem” novas células no nosso cérebro. Porém, resultados de pesquisas realizadas na década de 90 indicaram a capacidade de regeneração dos neurônios durante a vida adulta. Isso quer dizer que, mantendo os nossos neurônios por mais tempo funcionando corretamente, podemos prevenir ou adiar o aparecimento de doenças degenerativas como o Alzheimer.

De acordo com uma matéria sobre saúde publicada no 👉El PAÍS, há algumas maneiras de darmos uma forcinha na recuperação dos nossos neurônios. No artigo é apresentada uma lista 5 hábitos que devemos manter: 1) prática de exercício físico, principalmente o aeróbio, como a caminhada ou a corrida, por exemplo; 2) alimentação balanceada, sendo a 👉Dieta Mediterrânea a recomendação, além da redução da ingestão de alimentos calóricos; 3) manutenção da atividade sexual regular; 4) Controle da ansiedade e do estresse, por meio do descanso e da meditação; e 5) aprendizagem constante para aumentar as conexões cerebrais.

Em um artigo de divulgação da 👉 FAPESP, publicado há 10 anos, encontramos registrado outra orientação importante para essa regeneração:

“Outra atitude que auxilia a neurogênese no hipocampo é sempre procurar novidades, como novos lugares, novos passatempos ou novas amizades.”

Para quem não é da área da saúde, neurogênese é o processo de formação de novos neurônios e hipocampo é a área do cérebro onde “guardamos” a memória e processamos as emoções.

Além dessas orientações, os pesquisadores destacam “os vilões” que devemos retirar do nosso corpo! Tais como, estressores físicos ou psicológicos, processos inflamatórios, distúrbios do sono, consumo de drogas e de álcool. Somados ao processo natural do envelhecimento, são esses os principais fatores que prejudicam o surgimento de novas células neurais.

Pesquisas mais recentes mostraram resultados ainda mais animadores para os “envelhescentes“. Em um estudo publicado na revista Nature, os pesquisadores analisaram os cérebros de pessoas falecidas quando tinham entre 43 e 97 anos e identificaram, além das células que temos desde o nascimento, a presença de “novos” neurônios. Embora, no início da idade adulta comecemos a perder células nervosas, podemos continuar a produzir novas células até os 90 anos, afirma Rosa Sancho (chefe de pesquisa da organização sem fins lucrativos Alzheimer’s Research UK). A geração de novos neurônios acontece quando aprendemos coisas novas! Para ler mais sobre esse assunto, clique 👉AQUI.

Por esses e outros motivos, é tão importante nos mantermos ativos. Manter “o corpo e a mente ativos” para mim é redundância. A mente está na cabeça e a cabeça faz parte do corpo, uai! Sempre chamo a atenção dos meus alunos sobre esse “detalhe” e brinco: “alguém já viu uma pessoa andando sem a cabeça por aí?” Ou ainda, “você já viu alguma cabeça passeando sozinha pela rua?” Bom, só vi uma mãozinha irrequieta e independente nos filmes da Família Addams. 👇

Brincadeiras à parte, de acordo com👉 pesquisas atuais os exercícios físicos não somente aumentam as conexões entre os neurônios pré-existentes, mas induzem ao nascimento de novos, devido ao aumento do fluxo de sangue no cérebro e a produção de substâncias químicas, ambos desencadeados ao caminhar, correr, nadar ou andar de bicicleta regularmente (atividades aeróbias). Alguns desses achados são resultados de pesquisas conduzidas aqui no Brasil!

Como se não bastassem as práticas preventivas para cuidar melhor do “tesouro que está dentro da nossa cabeça“, da eminencia das perdas decorrentes do processo do envelhecimento, ainda temos que lidar com a pandemia de 2020: o COVID19.

Pesquisadores identificaram a 👉presença do coronavírus no cérebro de pacientes mortos pela doença. O estudo, realizado na UNICAMP, mostrou que o vírus pode atingir o sistema nervoso central. Esse resultado, divulgado no presente mês, também foi observado em análises de imagem feitas em pessoas com COVID-19 em estágio moderado. Ainda não há dados aprofundados encontrados na literatura científica, pois não houve tempo suficiente para isso. O que se sabe é que os pacientes infectados podem apresentar sintomas neurológicos (em média 30 a 35% deles). Além disso, não sabemos as consequências no organismo a longo prazo. Tomemos todos os cuidados!😷

Voltando ao nosso tema central, bora colocar a nossa cabeça para funcionar! Nos dois últimos posts (👉”A ordem secreta da estante” e 👉”Vamos para o clube?“) do blog Cresce e Aparece! destaquei a relevância da leitura e mais uma vez chamo a atenção para os seus benefícios para a saúde do nosso cérebro.

“Ler é para a mente o que o exercício é para o corpo.”
– Joseph Addison –

Então, pausa para o “Valeu a dica“, pois vou contar como podemos cuidar melhor do nosso “combustível cerebral“: os livros!

#Valeu a dica

No 👉POST da semana passada falei sobre a organização dos livros e conversando com o pessoal do grupo Leia Mulheres Lavras (falei sobre ele neste 👉 POST) recebi uma dica de um aplicativo que serve para catalogar livros. Chama-se My Library . É gratuito e, para facilitar, eu achei a versão em português “Minha Biblioteca” para fazer o download no smartphone. Para baixar, clique 👉AQUI.

Perguntaram-me se eu sabia de alguma dica de limpeza dos livros para fazer antes de retorná-los para a estante. Fui buscar informações e encontrei alguns cuidados que devemos ter com a manutenção da limpeza para melhor conservação dos livros, bem como algumas orientações para evitar que se danifiquem com o passar do tempo. Selecionei algumas dicas bem práticas. Veja só:

  • Duas vezes por ano, tire o pó acumulado entre as páginas de todos os livros com um pano macio e seco.
  • O conhecido álcool em gel embebido em um pano (sem encharcar) deve ser usado para limpar a capa de livros de sebo e aqueles mais velhos. Deixe secar ao sol com as páginas abertas para matar o mofo antes de colocá-los na estante.
  • Se o livro estiver muito mofado, coloque o livro em um saco plástico com um pouco de bicarbonato e deixe vedado de um dia para o outro.
  • Coloque um potinho de sal ou cal virgem num canto do móvel onde estão seus livros para evitar umidade e afastar insetos. Troque a cada 3 meses.
  • Não deixe marcadores feitos de metal dentro dos livros pois podem marcar, enferrujar ou manchar as páginas. Prefira os feitos de papel.

Não foi à toa que elaborei o bloquinho marcador de páginas do Kit de anotações do Cresce e Aparece! É super prático, como você pode perceber no exemplo de uso publicado na feed do Instagram👇

Antes de terminar, não podemos esquecer da música do post!

#Dica de música do blog🎼

A canção é da Vanessa Carlton, mas escolhi uma versão mais divertida da música “A Thousand Miles“, interpretada pelo ator Terry Crews em um trecho da comédia “As Branquelas“. 👇

Crews também encarna o Julius da série Todo Mundo Odeia o Chris que se passa na década de 80. Uma indicação de programa que renderá muitas risadas 😂🤣 a você e a sua família!

🎧#Audioblog🎧

Audioblog: O que você tem na cabeça? 25/10/2020

Finalmente, gostaria de agradecer aos abraços e beijos virtuais, as mensagens de carinho e a todos que se lembraram do meu aniversário. De acordo com a classificação adotada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que reconhece na meia-idade pessoas de 45 a 59 anos, entrei oficialmente nesta fase que é o escopo principal do nosso blog.

Como contei neste👉 POST, adoro festejar a minha data especial com bolo 🍰, velas 🎂 e tudo o que eu tenho direito 🎁🎈🎉na companhia de amigos e familiares. Excepcionalmente, esse ano fui obrigada a fazer diferente. Prezando pela segurança e pela saúde de todas essas pessoas queridas, restringi as comemorações ao meu núcleo familiar em casa. Porém, não deixei de me alegrar com a presença de cada pessoa que mesmo distante continua perto do meu coração❤️.

A todos, o meu muito obrigada!!! 🙏

Grande beijo!💋 Até loguinho!!!👋

3 comentários sobre “O que você tem na cabeça?

  1. Oi, comecei a estudar teclado ano passado, mas no meu caso acho que me interessei tarde demais, se alguns anos antes não teria as mesmas dificuldades de hoje e que enfrentei neste estudo. Acabei desistindo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s