Livros, séries de TV e filmes. No post de hoje vou descrever minhas impressões sobre uma opção de cada categoria mencionada com a finalidade de compartilhar experiências que podem ser úteis para você, além de trocar ideias sobre os assuntos com as leitoras do blog. Na verdade, “testei” (experimentei) uma gama de livros, séries e filmes durante esse ano e acredito que você tenha se aventurado por tais bandas para fugir de aglomerações sem perder as oportunidades de lazer, certo? Falei sobre isso no post 👉 “Lazer sem sair de casa: opções online e offline“.

Pode ficar tranquila, pois não vou dar “spoiler” de nada. Entretanto, tecerei comentários e observações que vão te ajudar a tomar a decisão de experimentar além da literatura, um pouco mais da sétima arte.

Se o cinema é a sétima, quais seriam as outras seis 🎭? Encontrei essa informação na página da revista 👉 Super Interessante. São elas: a música, a dança, a pintura, a escultura, a arquitetura e a poesia. O artigo ainda cita (extra-oficialmente) a fotografia, os quadrinhos e os games como 8ª, 9ª e 10ª arte, respectivamente. Adianto também que neste post não foi preciso inserir a seção 👉#Valeu a Dica, considerando que o texto aborda esse tema na íntegra. Então, vamos lá?

Ao me propor discorrer sobre um único livro, o primeiro entrave foi eleger apenas um deles para me concentrar no post. Contei em publicações anteriores que gosto de ler mais de um livro ao mesmo tempo 📚 e, logo que termino um, engato em outro. Para quem acompanha o blog Cresce e Aparece! sabe que, por meio do clube de leitura 👉 Leia Mulheres Lavras, nos últimos meses, li 👉”A Bolsa Amarela” (Lígia Bojunga) (na verdade reli), 👉”A Via Crucis do Corpo” (Clarice Lispector) e no momento, estamos lendo dois capítulos de 👉”Mulheres que Correm com Lobos” (Clarissa Pinkola Estés) para conversarmos no próximo encontro do grupo. Em paralelo, revezo a leitura com o livro 👉”Os Originais: como os inconformistas mudam o mundo” (Adam Grant), que aborda um assunto de outra classe literária. Todas as obras citadas são de qualidade e as recomendo do mesmo modo, porém, vou me ater aos comentários sobre o livro da Clarissa.

Acredito que nessa vida nada é por acaso. Esta obra caiu em minhas mãos para me ensinar, ou melhor, me lembrar que precisamos ter coragem 👊. Na introdução a autora me cativou de imediato quando escreveu:

“O material contido neste livro foi selecionado para lhe dar coragem. O trabalho é oferecido como um fortificante para aquelas que estão no meio do caminho, incluindo-se as que lutam em difíceis paisagens interiores bem como as que lutam no mundo e por ele”.

Mulheres que correm com lobos – Clarissa Pinkola Estés

Clarissa Estés é psicóloga Junguiana e escritora reconhecida internacionalmente. Este livro, o seu primeiro, foi lançado em 1992 como resultado de um trabalho de quase duas décadas. Usando mitos e fábulas, a autora explora histórias do arquétipo da Mulher Selvagem . Explicando de maneira simplificada, na obra a escritora aborda os conceitos de “mulher domesticada” e incentiva a busca da essência da alma feminina. Com a autora aprendi o significado da palavra “vicejar” e a querer usá-la na prática mais frequentemente.

Acredito ser oportuna a leitura da referida obra por mulheres que estão entrando na fase correspondente à meia-idade, sobretudo aquelas (desconsiderando a idade cronológica⏳) que perderam sua verdadeira essência ao longo de um árduo percurso de vida.

Quanto as séries 📺, há muitas opções disponíveis e temporadas para “maratonar“. Como sou bem eclética, posso indicar a série alemã Dark (2017- Baran bo Odar e Jantje Friese: 3 temporadas) para quem quer colocar os neurônios para funcionar; Mindhunter (2017- Joe Penhall: 1 temporada), caso você queira acompanhar uma história sobre investigação baseada em fatos reais; Anne with an E  (2017- Moira Walley-Beckett: 3 temporadas) para quem gosta da versão cinematográfica de romance (baseada nos primeiros volumes da série de livros da 👉Anne de Green Gables, conforme citei neste 👉POST) ou Emily em Paris (2020 – Darren Star: 1 temporada), uma comédia dramática para assistir e relaxar, além de contemplar paisagens deslumbrantes da cidade luz. Contudo, uma série que superou minhas expectativas foi Cobra Kai (2018 – Josh Heald; Jon Hurwitz e Hayden Schlossberg: 2 temporadas).

Sequência da triligia do filme Karatê Kid (1984 – John G. Avildsen), um sucesso dos anos 80, Cobra Kai conta com a participação de vários atores da versão original interpretando seus respectivos personagens e vivendo a continuação da história protagonizada por Ralph Macchio – o Daniel San (hoje com 59 anos).

A trilha sonora da época, as reviravoltas e as modernidades incorporadas no enredo fazem desta série uma ótima pedida para assistir junto com a família. É a oportunidade de relembrar um tempo vivido por nós “quarentonas e cinquentonas” e aproveitar para conversar com os filhos e com os mais jovens (que nem haviam nascido) sobre a nossa vida naquele tempo. Para quem não se lembra ou não viu os filmes Karatê kid (1, 2 e 3), assistir o primeiro é o suficiente para você não ficar “boiando” na história. Além disso, você vai perceber que o Daniel San parece ter “nadado diariamente no formol“! Assista ao trailer oficial legendado clicando abaixo 👇.

Embora ainda não possamos frequentar as salas de cinema 🎬 para assistir as estreias de filmes, temos como opção os chamados Streaming, onde acessamos os longas pela internet ou por assinatura dos serviços de algumas plataformas, como a Netflix e a Amazon Prime, por exemplo. Dentre os filmes que assisti recentemente e que me chamaram a atenção, estão O Poço (2019 – Galder Gaztelu-Urrutia), a Ilha do Medo (2010 – Martin Scorsese) e Enola Homes (2020- Harry Bradbeer). O Poço é um longa espanhol daqueles que você deve “ler nas entrelinhas“, assistir 2 vezes e acompanhar cada cena com alguém que quer realmente entender a verdadeira acepção da obra. Um filme forte, com roteiro contendo alto simbolismo no qual nem tudo é o que parece… Ilha do Medo é um filme de suspense que aborda uma história de investigação, que se passa na década de 50, sobre o desaparecimento ocorrido em um hospital psiquiátrico.

Enola Homes me surpreendeu! Um filme leve que, na minha avaliação mescla suspense, comédia e ação, além de ter como personagem principal a irmã do famoso Sherlock. Estrelado por Millie Bobby Brown, a “Onze” da série de TV Stranger Things, o filme é uma adaptação do livro 👉 “Os mistérios de Enola Homes: o caso do marquês desaparecido” e conta as aventuras de uma adolescente para encontrar a sua mãe. De acordo com a página da revista 👉Super Interessante, Enola Homes não foi uma criação de Arthur Conan Doyle, o autor das obras de Sherlock Homes. Nancy Springer, escritora norte-americana, lançou o primeiro livro sobre a personagem em 2006 e outros 👉 5 livros na sequência. Depois de assistir ao filme, minha filha se empolgou em ler o livro e eu ( claro!) imediatamente a incentivei. Leia, a seguir, algumas frases ditas pelos personagens no filme.

  • Sobre se fazer ouvir:

“Eu não podia suportar que este mundo fosse seu futuro. Então, eu tive que lutar. Você tem que fazer barulho, se quiser ser ouvida.”

Frase de Eudora (mãe de Enola) para sua filha.
  • Sobre a necessidade de mudança política:

“Você não sabe o que é não ter poder. Não se interessa por política. Porque não tem interesse em mudar um mundo que o favorece tanto.”

Frase de Edith (mulher e negra) para Sherlock

Para instigar a sua curiosidade e seu espírito investigativo, assista ao trailer do filme original da Netflix Enola Homes👇.

Antes de finalizar, vamos para a dica de música🎹.

Música do Post 🎼

No clima de cultura, cinema e arte, compartilharei com vocês uma música, ainda sem nome. É uma composição original do meu filho Enzo e tocada por ele mesmo no piano. “Não me cabendo em mim” de tão cheia de orgulho, apresento a você: “Primeira música“👇

Bom gente, é isso! Caso eu tivesse que escolher escrever em detalhes cada uma das obras citadas, o texto ficaria imenso! Por isso, se você quiser conversar mais à respeito do livros, séries e filmes mencionados brevemente no blog, me avise! Falarei mais em futuros posts. Deixe sua opinião nos comentários no final da página ou me mande um e-mail (webcresceaparece@gmail.com) sobre esses e outros títulos que julgar interessantes. Vamos compartilhar experiências!!!

Se deu vontade de adquirir os livros, aproveite as promoções de black Friday que acontecerão até o final do mês de novembro nas lojas e livrarias físicas e/ou online (Deixei alguns links ao longo do texto para você pesquisar).

Acompanhe as nossas redes sociais. Tem até promoção do 👉Kit de anotações “Cresce e Aparece! para a próxima semana (10 e 15% de desconto!). Não Perca!!!

🎧Audioblog🎧

Audioblog: Um, dois, três, testando! 15/11/2020

Estarei te esperando no próximo post. Beijos 💋e até lá!

5 comentários sobre “Um, dois, três, testando!

  1. Oi, Pri! Me deu uma vontade imensa de reler “mulheres que correm com lobos”. É isso que vou fazer! Também amei a indicação musical! Fico feliz de ter plantado uma sementinha! Rsrs! Bjos

  2. Oi, gosto também de ler, mas um livro por vez, somente uma vez li dois livros ao mesmo tempo, e cada vez leio menos ou cada vez tenho menos vontade de abrir um livro e começar uma nova leitura.
    Nesse ano já li 41 livros e tenho três por ler e dois encomendados, mas a vontade está escondida em algum lugar.
    Achava que novembro eu ia ler mais, mas foram somente duas leituras.
    Quanto as séries assisto as minhas na tv à cabo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s