Sabe aqueles dias que você se sente meio “Down“😔 e pensa que algumas coisas só acontecem com você? Fique sabendo que você não é a única a enfrentar situações problemáticas, sejam elas de pequena ou grande dimensão. Quando estamos desanimadas e desesperançosas tendemos a enxergar as coisas com a visão embaçada da realidade🧐. Tudo fica ruim, nada parece funcionar conforme planejado. Eu, você e todo mundo passa por isso!!!

Então, no post de hoje decidi compartilhar uma pequena experiência do meu dia a dia que me tirou do prumo por alguns instantes além de outra que ocorreu ao meu entorno, me envolvendo direta ou indiretamente.

Esta semana eu derrubei o meu notebook😬 (que eu nem terminei de pagar). O equipamento estava sobre a escrivaninha em um suporte próprio. Coloquei-me de frente para ele, o abri como um baú e ele simplesmente “deu um mortal para trás” e caiu chapado no chão. Quase enfartei 😱ao ver meu principal instrumento de trabalho (sem contar o wifi, é claro, por que sou professora) esparramado e beijando o assoalho💻. Eu o abri rapidamente para ver se havia quebrado a tela (ficaria uma fortuna para trocar). Nenhum arranhão. Liguei a máquina para testar. Tudo certo! Ufa😅, estava funcionando! Demorou um pouquinho para eu me recompor😵, depois de tudo que passou pela minha cabeça caso o computador tivesse mesmo quebrado. Ok, bora pra frente!💪

Depois pensei: isso não é nada comparado à situação de outras mulheres que não apenas perderam o seu instrumento de trabalho, mas o emprego, o sustento dos seus filhos, ou ainda, daquelas que perderam um ente querido como resultado dessa pandemia.

Outro dia, vi uma notícia nas redes sociais sobre uma mulher que estava oferecendo, em um grupo de vendas da internet, a sua velha e única geladeira para, com o dinheiro arrecadado, poder comprar leite para os filhos pequenos. O que mais me decepcionou foram alguns comentários abaixo da postagem criticando a péssima condição da geladeira (escreviam palavras como “um lixo“) e as opiniões com desdém sobre a casa paupérrima retratada ao fundo da foto ou ainda, da “culpa” atribuída à moça por ter filhos!

Cadê a empatia dessas pessoas, minha gente! Ou melhor, cadê a compaixão? Não sabemos a dimensão do sofrimento do próximo. Nesse exemplo, toco num ponto mais a fundo. Mais do que aprender a lidar com os problemas que nos acontecem, que necessitem de apoio psicológico, social, financeiro ou seja lá qual tipo, devemos aprender a nos disponibilizar a ajudar usando o que temos ao nosso alcance. E não estou falando somente de dinheiro, nós temos muitos outros tesouros para oferecer. Felizmente, apareceram outras pessoas que se dispuseram a ajudar aquela mãe.

A caridade é colocada em prática quando oferecemos o que temos para o auxílio de alguém. Pode ser uma palavra amiga, uma informação na hora certa, arrumar uma “tupperware” ou “marmitex” para quem não pode fazer o almoço, uma ajuda na tarefa de casa do coleguinha do seu filho, um bombom colocado junto da marmita de uma colega de trabalho, o empréstimo ou doação de um livro, uma meia de lã tecida por suas próprias mãos para aquecer os pés de um idoso frágil, um simples telefonema… Eu poderia destrinchar linhas e mais linhas com exemplos como esses e tenho certeza de que você teria muitos outros para acrescentar, mas o mais importante do que elencar exemplos é agir agora mesmo!

Acredito que estamos entorpecidos com a vida virtual e dessensibilizados com as vicissitudes da vida real. Não podemos esquecer que esta última está imbuída de dificuldades, de conflitos e também de aprendizagens, porém somos munidos de habilidades diversas que não podem ser desperdiçadas atendendo somente as nossas próprias necessidades.

É possível protagonizar e melhorar a sua realidade e a de outras pessoas com pequenos gestos e iniciativas simples. De qualquer forma, precisamos ter ciência de quais seriam essas tais habilidades (isso é autoconhecimento) e estarmos dispostas a usá-las em benefício do outro (isso é pró-atividade). Falarei mais detalhadamente sobre esses temas em futuros posts.

De todo modo, a primeira pessoa a ser ajudada é você mesma. Por isso, gostaria de compartilhar com vocês uma técnica para lidar com os conflitos da nossa vida real: Escrever✍. Isso mesmo! Escrever é uma maneira terapêutica de se conhecer e buscar soluções para os seus conflitos tanto internos quanto externos.

Aprendi como iniciar o meu processo de “Escrita Curativa” com a escritora Ryane Leão na “Oficina online Brisa Leve: Ciclo Mulheres nas Artes” no início deste ano. Ryane explicou que precisamos seguir os 7 passos enumerados a seguir:

  1. Abra a ferida, mas lembre-se de fechá-la depois.
  2. Tenha coragem de acessar os arquivos da sua vida.
  3. Compreenda que cada pessoa têm o seu tempo de cura dentro da sua própria vivência. Respeite isso.
  4. Escreva sobre o que há por trás dos processos. Não jogue detalhes debaixo do tapete.
  5. Seja honesta mas tenha amor próprio.
  6. Encontre a sua maneira de escrever, molde a sua escrita de modo a encontrar a sua própria voz.
  7. Compreenda seus processos, não somos lineares.

A escritora também sugere a escrita de uma carta para a versão de você mesma de 5 anos atrás. Desta forma é possível enxergar a dimensão do nosso crescimento, nossas mudanças e o caminho que trilhamos até aqui.

Para quem quiser conhecer um pouco mais o trabalho desta escritora que escreve poemas lindos (e olha que eu gosto mais de prosa do que de verso), acesse a página do Instagram @ondejazzmeucoração 👇

Como estamos falando sobre “a vida como ela é“, não poderia deixar de mostrar aqui o resultado de iniciativas do blog que aconteceram este ano, pois: aqui a gente faz e aqui a gente mostra!

Vou começar falando sobre aquele produto para colocar na máquina de lavar roupas que contei no post 👉”Experiências das leitoras com o “Valeu a dica”: será que dá certo?”. O produto é o Coletor de Pelos Max Clean da marca Clink. Veja as fotos abaixo👇

Escrevi para o SAC da empresa no dia 29/03/21. Responderam-me no mesmo dia mostrando-se solícitos e rápidos ao tentar resolver meu problema. Embora argumentassem sobre a forma correta de uso do produto, respondi que segui todas as recomendações da embalagem e mesmo assim não fiquei satisfeita. Propuseram no dia 1º de abril, o ressarcimento do valor pago pelo produto, mas até o presente, ainda não o recebi. Espero que isso não seja uma brincadeira do dia…🤭 Acredito que não🙄. Leia a sequência da nossa troca de mensagens por e-mail nas imagens abaixo👇

No mesmo 👉POST que citei anteriormente, falei que o blog presentearia a leitora que mais deixou comentários nos textos publicados. A recebeu seu kit de anotações do Cresce e Aparece! e nos mandou uma foto. O kit foi acompanhado de um mimo cortesia do 👉 “Atelier Regina Marinho” que enviou sachês artesanais para perfumar a casa da nossa seguidora. Veja só!👇

Maria do Rosário

Também têm fotinhas das publicações do Instagram das ganhadoras do nosso sorteio em parceria com a 👉 “daMata – saboaria artesanal. Nós que agradecemos, Raffa e Isabela!!! Leia os depoimentos das leitoras do blog ao receberem seus prêmios👇.

No dia 02 de fevereiro deste ano, o blog completou 1 ano de existência e também teve presente sorteado por e-mail. No post 👉 “Vicejar“, eu publiquei fotos de duas das três ganhadoras, porém somente agora recebi a foto especial da ganhadora nº3. Veja o sorriso da leitora Joana na foto abaixo👇

Antes de terminar, pausa para a música.

#Dica de Música do Blog🎼

A música do post dispensa explicações. Com vocês “Viva La Vida” do grupo Coldplay 👇

🎧Audioblog🎧

Audioblog: Vida: dê a sua contribuição. 25/04/2021

Para terminar, temos um #valeuadica.

#ValeuaDica

Recebi uma mensagem da leitora Cláudia me avisando que a ferramenta para interação com palmas (Claps 👏), bem como a de avaliação do post (Curtir 👍ou Não curtir👎) não estavam funcionando. Ela me disse que tentava curtir os posts, mas os instrumentos de interação não contavam a sua opinião. Permaneciam sempre em zero “0”, como se não tivessem computado nada. Identifiquei o problema no sistema e reconfigurei o mecanismo. Assim, à partir de agora, fiquem à vontade para interagir pois sua opinião será registrada. Me avise se deu certo, e caso haja algum outro problema, mande-me nos comentários.

Também espero sugestões de temas, viu?

Por hora, estou preparando textos especiais para os próximos domingos. Fique ligada!

Beijão💋 e até logo mais!🖐

Um comentário sobre “Vida: dê a sua contribuição

  1. Oi Priscila.
    Quero continuar ganhando os brindes de participação…kkk.
    Muita sensibilidade sua, tocar num assunto tão necessário nos dias de hj: a caridade. E conseguiu mostrar c exemplos simples e objetivos q é fácil viver a regra de ouro: “faça aos outros o q gostaria q fisesse a vc…”. É o “inédito-viavel” q Paulo Freire propunha para situações desesperançosas. E é o estamos vivendo atualmente, né?
    Gde bj.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s