Quem não se comunica se trumbica!” já dizia o saudoso Chacrinha.

Em tempos de contato social virtual, será que estamos desaprendendo a nos relacionar? Será que estamos entregando o nosso recado de maneira compreensível e educada? Será que compreendemos e lidamos bem com as mensagens que o outro nos direciona?

Bem, os meios mais usados para conversar com as pessoas hoje em dia são as redes sociais, sobretudo o Whatsapp pelo celular. Fazemos pouquíssimas ligações. Preferimos as mensagens de texto e os áudios quando o recado tem que chegar ainda mais rápido ao remetente. Dessa maneira, vamos abreviando o tempo e a qualidade do contato com o outro.

Além disso, com o uso frequente destes aplicativos de conversa, esquecemos de seguir uma espécie de “etiqueta” de comunicação. Há controversas quanto ao seu fundamento, se realmente faz sentido seguir determinada conduta quando usamos as tecnologias para nos relacionar ou se essa etiqueta social somente é necessária no âmbito presencial. Vou citar alguns exemplos para refletirmos sobre o assunto:

📲 Mensagens de “Bom dia”, “Boa tarde”, “Boa noite” 👎🏻acompanhadas com figurinhas, mensagens fofas ou frases de impacto postadas diariamente em grupos. É muito bom receber mensagens positivas, porém se você está, por exemplo, em um grupo com 20 pessoas e todo mundo resolver mandar uma única mensagem desse tipo e responde-las com as suas respectivas saudações, seriam 40 mensagens diárias em apenas um dos seus grupos do whatsapp!!! Imagine se você estiver inserido em 5 grupos. Não há memória de celular que aguente tamanho volume de dados diários! Muitas vezes, você se torna dessensibilizada com determinados remetentes ignorando, inconscientemente, suas mensagens importantes pensando ser mais um cumprimento matinal. Ou ainda, você resolve apagar mensagens para liberar espaço no aparelho e acaba por deletar alguma mensagem importante por engano.

Você já ouviu falar que o📲 Emoji de risada👍 é coisa ultrapassada? Eu gosto muito de usar essas figurinhas. Na minha opinião, é uma forma de agregar expressão facial no texto tornando mais afetiva ❤ a comunicação. Recentemente, li o post “Como nasceu o KKKKKKKK da geração Z e por que emoji de risada é coisa de gente velha” no G1.

Segundo o texto:

“Os nascidos após 1996 deixaram claro o que acham dos adultos dos anos de 1981 a 1996: se tomam café da manhã, reclamam dos boletos a pagar, usam calça skinny e emoji genérico para rir, a vergonha é grande.”

Essa “vergonha alheia” ganhou o nome de “Cringe“, palavra bastante usada recentemente pela moçada, denotando o sentido de “pagar mico” e “estar fora de moda” considerando determinados comportamentos julgados antiquados pela geração mais nova.

E nós da meia-idade que nascemos na década de 1970? Eu ainda uso o “rsrs“, o que de acordo com o referido texto é mais antigo do que o emoji da risada. A geração Z usa apenas a onomatopeia “KKKKKK”, ou ainda o emoji 😭 no lugar do 😂 com o drama exacerbado desses jovens ao expressar algo positivo. Pode isso, minha gente? Continuemos a usar os emojis que quisermos, pois não é vergonha nenhuma ser identificada pela idade que se tem!

📲 As Fake News 👎🏻disseminadas por meio dos aplicativos de conversa são pragas que vieram no pacote das tecnologias e mídias virtuais. Essas “news” estão em fotos, áudios, vídeos, textos e em tudo quanto é tipo de ferramenta que permite edições e montagens diversas. Muitas vezes nos confundimos por que a notícia é verdadeira, porém antiga e fora de contexto. Outras vezes, a situação publicada aconteceu em outro país com pessoas ou circunstâncias diferentes da nossa realidade. Nesses casos, como devemos proceder?

Primeiro, não compartilhar notícias indiscriminadamente. Quando for relevante, checar a fonte para saber se é verdadeira. Para isso, existem sites que fazem essa busca e nos informam se a notícia é falsa. Vou deixar alguns links aqui para você conferir:

📲 Comentários nas postagens nas redes sociais podem ser positivas ou negativas👍👎🏻. Na verdade, muitas pessoas “erram a mão“, não em relação ao quê comentam, mas na maneira com que o fazem. Essas mensagens aparecem frequentemente em posts contendo assuntos delicados, onde não há consenso em opiniões sobre temas polêmicos. No lugar do diálogo sadio e produtivo, ocorre um “linchamento virtual“. Leia mais detalhes no texto postado sobre o assunto do grupo contente.vc, clicando na imagem abaixo👇 #ainternetqueagentequer

📲 Em relação à face positiva da interação virtual, aprendi muito com a Patricia Tucci, acompanhando as postagens da página do 👉”Brilhe na Comunicação Digital“. No meu período de recesso do blog participei do curso “Ilumine-se” e aprimorei minha maneira de comunicar e me conectar com as pessoas, tanto em ambiente online quanto offline . Inclusive, ganhei um livro em um sorteio que aconteceu no segundo dia do curso. Aproveito para agradecer novamente a cortesia!💖

Tive até dificuldade de escolher uma única postagem da Patricia para compartilhar aqui. Selecionei a intitulada “Positive-se” para dar ideias de como melhorar nossos pensamentos e nossa fala para com as pessoas que estão ao nosso entorno. Veja só!👇

Agora vamos ao #valeuadica.

#ValeuaDica

📲 Com os novos hábitos adquiridos em consequência das demandas dos tempos de pandemia, aprendi que temos que respeitar o espaço virtual das pessoas. Todos nós precisamos nos desconectar e por esse motivo, temos o direito de viver “a vida real” (como diz minha filha). Aí cabe o bom senso, o chamado “desconfiômetro“. Seguir algumas regrinhas básicas não é difícil para ninguém, por isso vou dar alguns exemplos: enviar e receber mensagens profissionais em horário comercial; mandar mensagens de voz com parcimônia, pois muitas vezes não podemos acessá-las em determinados locais; não enviar e-mails referentes ao trabalho nos finais de semana, a menos que saibamos que a pessoa esteja disponível para nos dar retorno. Se for urgente, dê um telefonema. Caso contrário, segunda-feira não está longe…😉

Você está se permitindo desconectar? Você está contribuindo com os momentos de desconexão do outro? Pensemos nisso!

Antes de terminar, vamos para a dica de música de hoje.

#Dica de Música do Blog🎼

A sugestão de música de hoje é Dearly Beloved – Kingdom Hearts por Rosseau. Meu filho me apresentou a magnífica canção e aprendeu a tocá-la no piano sozinho. Compartilharei a interpretação original, pois a dele (gravada em vídeo e que fez o maior sucesso nos grupos familiares de whatsapp) não me foi permitida (por enquanto!) a divulgação aqui. Quando estiver completa e na hora dele, a interpretação do filhão será divulgada. Aguardem!!! 👇

Então, é isso pessoal! Semana que vem tem muito mais! Te espero!

Grande beijo 💋e até logo!

#vicejarsempre

Avalie o post AQUI👇

🎧Audioblog🎧

Audioblog: Conectar bem e desconectar também. 22/08/2021.

2 comentários sobre “Conectar bem e desconectar também

  1. Priscila, mais uma reflexão mto pertinente de seu blog.
    Os desafios da era digital são gdes e precisamos falar sobre isso…obg por nos ajudar!
    Bjs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s